ÁREA EXCLUSIVA





Recuperação de senha.

INSTITUCIONAL

PROJETO CONQUISTA 4º LUGAR EM FEIRA INTERNACIONAL

A Regeneron International Science and Engineering Fair (ISEF) ocorreu nos EUA e  contou com 1.410 alunos de 63 países

 

 

 

Nossas conquistas internacionais não param de chegar. Desta vez, o reconhecimento às múltiplas possibilidades oferecidas na formação de nossos alunos ocorreu na edição de 2022 da Regeneron International Science and Engineering Fair (ISEF), maior feira de ciências pré-universitária do mundo. Os estudantes Pietro Andrade Quinzani e João Pedro Sassi Sandre foram premiados com o 4º lugar na sua categoria: Behavioral and Social Sciences.

 

Pietro e João participaram da ISEF após conquistarem o 2º lugar na categoria Ciências Sociais e Aplicadas na Febrace, Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, com o projeto "Anti-Skeptical: Clusterização da Matriz Cultural de Hofstede por meio de métodos de Machine Learning aplicado para analisar o comportamento Anti-Vax no Brasil”. O projeto, orientado pelo professor Francisco Tupy, foi escolhido pela Embaixada Americana!

 

Todos que são cientistas, que gostam de feiras de ciências, sonham em algum dia participar da ISEF. Alcançar esse objetivo é algo prazeroso porque, além de poder disseminar o conhecimento aplicado do seu projeto, temos a chance de conhecer pesquisas que estão sendo feitas. Isso muda o jeito que enxergamos o mundo enxerga o mundo, afirma João Pedro Sassi Sandre.

 Ao promover desafios e propostas pedagógicas em múltiplas áreas do saber, que estimulam a cultura investigativa, a criatividade e a inovação, é incentivada a mentalidade de formar em cada estudante do Porto, um jovem agente da ciência. “Os alunos tiveram total iniciativa, se utilizaram do contexto em que estavam envolvidos e de ferramentas tecnológicas, como o Machine Learning, para trazer uma contribuição para o mundo”, afirma Francisco Tupy Gomes, professor do Colégio Porto e orientador do projeto.

 

A ISEF contou com 1.410 alunos de 63 países e territórios. Ao todo, foram distribuídos cerca de US$ 8 milhões em premiações, divididos em bolsas de estudos, estágios e viagens de campo.

 

Quando a gente escuta o nosso nome é chamado para receber o prêmio é uma sensação muito feliz. Se somar todo o desenvolvimento do projeto, fomos felizes não por ter ganho, mas pelo projeto que desenvolvemos, a jornada, os esforços, a aprendizagem de novos saberes durante todo o percurso. “Estamos vivendo um dilema se continuamos ou se criamos um novo projeto”, finaliza Pietro Andrade Quinzani.  

 

No Porto Seguro, o estímulo às várias áreas do saber é diário, e permite que os sonhos de nossos alunos sejam compartilhados com outros estudantes ao redor do mundo. 

 

 

 

 

 

 

 


Ver todas as notícias